fbpx
Agende sua consulta agora

O QUE É E COMO FUNCIONA A IMUNIDADE

Compartilhe este conteúdo

IMUNIDADE

Mecanismo de defesa do organismo composto por órgãos, moléculas e células que interagem entre si e trabalham no combate a microrganismos como vírus, bactérias, protozoários, algas unicelulares, fungos e ácaros que possam favorecer ao desenvolvimento de doenças. Em suma, esse complexo e coordenado sistema imunológico é o responsável pelo equilíbrio e bom funcionamento do organismo!

Além da proteção que evita o surgimento de doenças, a imunidade pode impedir que uma doença progrida, atuando na identificação ou na destruição de células estranhas, danificadas ou mutantes, o que faz desse sistema grande aliado na prevenção do câncer. Uma atuação coordenada que começa com o reconhecimento do invasor, neutralização e ação de combate para garantir o bom funcionamento e o bem-estar do organismo.

CLASSIFICAÇÃO DA IMUNIDADE

IMUNIDADE INATA

Conjunto de formas de imunidade que nasce com o indivíduo, sem necessidade de introdução de substâncias ou estruturas exteriores. Ele está em perfeita ação nos indivíduos saldáveis, atua de forma rápida, evitando a entrada de microrganismos e combatendo os que conseguem penetrar em nosso organismo. A imunidade inata, resposta do organismo a um invasor, melhora a cada novo contato com esse mesmo agente.

Para que um micróbio ou outro parasita nos cause uma doença terá que vencer as:

BARREIRAS FÍSICAS

Responsáveis por impedir ou retardar a entrada de corpos estranhos no organismo que são a pele, pêlos e muco;

BARREIRAS FISIOLÓGICAS

Essas são barreiras como, por exemplo, a acidez do estômago, temperatura do corpo e citocinas que, além de impedir que o microrganismo invasor se desenvolva, também o elimina;

BARREIRAS CELULARES

Considerada a primeira linha de defesa, essa barreira é composta pelos neutrófilos, macrófagos e linfócitos NK, células responsáveis por destruir os microorganismos invasores por meio de anticorpos. Para cada tipo de proteína estranha que penetra o organismo, é produzido um tipo de anticorpo que adere ao invasor, neutralizando-o e facilitando a sua destruição.

IMUNIDADE ADQUIRIDA

Nosso sistema, após ser invadido por um patógeno, desencadeia processos através dos quais o organismo reconhece os agentes e os destrói de uma forma dirigida e eficaz. Todos os componentes moleculares que desencadeiam uma resposta específica são antígenos, tais como, moléculas superficiais de bactérias, vírus ou outros microorganismos, toxinas produzidas por bactérias ou mesmo moléculas presentes no pólen, pelos de animais e células de outras pessoas. Nesse caso os anticorpos criados nessa operação são específicos contra esses agentes invasores.

Apesar de atuarem juntas na defesa do organismo, a imunidade adquirida pode ser dividida em Humoral e Celular.

HUMORAL

Principal mecanismo de defesa contra microrganismos e é mediada por anticorpos produzidos pelos linfócitos-B.

CELULAR

Promove a destruição de microrganismos presentes em fagócitos ou das células infectadas e é mediada pelos linfócitos-T.

TIPOS DE IMUNIDADE ADQUIRIDA

A ESPONTÂNEA

São os anticorpos que nosso organismo fabrica ao entrar em contato com um agente infeccioso específico. Nesse processo podemos apresentar ou não os sintomas de doença.

A INDUZIDA

Criação de anticorpos através do processo de imunização através de vacinas.

CÉLULAS DO SISTEMA IMUNE

A imunidade é mediada por células responsáveis pelo combate a infecções, os leucócitos. Esses, por sua vez, são divididos em polimorfonucleares e mononucleares que possuem alguns tipos de células que desempenham funções distintas e complementares.

LINFÓCITOS

Células que normalmente estão mais alteradas durante infecções, uma vez que são eles que caracterizam a resposta imunológica. São três os tipos de linfócitos, o B, T e o Natural Killer (NK), que desempenham funções diferentes;

MONÓCITOS

Circulantes transitórios no sangue, esses podem ser diferenciados em macrófagos, são importantes para o combate ao agente agressor do organismo (Macrófagos = glóbulo branco que comem material estranho);

NEUTRÓFILOS

Em maiores concentrações no sangue, são as primeiras a identificar e atuar contra as infecções;

EOSINÓFILOS

Em menores quantidades no sangue, no entanto, sua concentração aumenta durante reações alérgicas ou em caso de infecções parasitárias, bacterianas ou por fungos;

BASÓFILOS

Circulam em menores concentrações, porém podem aumentar durante crises alérgicas ou inflamações prolongadas.

Essas células estão presentes no sistema imune e atuam de forma coordenada com o objetivo de combater o agente agressor, assim que o corpo é invadido por algum agente infeccioso.

TIPOS DE RESPOSTAS IMUNES

A produção de anticorpos é denominada resposta imune, que ocorre quando o organismo identifica a presença de algum antígeno:

RESPOSTA IMUNE PRIMÁRIA

Liberação no plasma sanguíneo de anticorpos específicos contra um determinado antígeno dias após a exposição a ele;

RESPOSTA IMUNE SECUNDÁRIA

A concentração de anticorpos e elevada ainda mais. Isso ocorre quando há uma nova exposição a um mesmo antígeno. Esse mecanismo está relacionado à memória imunológica, na qual células que já produziram anticorpos contra um determinado antígeno retêm essa informação e voltam a produzi-los, de forma ainda mais rápida.

ÓRGÃOS IMUNITÁRIOS PRIMÁRIOS

PRODUTORES DOS LINFÓCITOS

MEDULA ÓSSEA

Tecido mole que preenche o interior dos ossos. Local de produção dos elementos figurados do sangue, como hemácias, leucócitos e plaquetas.

TIMO

Glândula localizada na cavidade torácica, no mediastino. Sua função é o promover o desenvolvimento dos linfócitos T.

ÓRGÃOS IMUNITÁRIOS SECUNDÁRIOS

NESSES SÃO INICIADAS A RESPOSTA IMUNE

LINFONODOS

Pequenas estruturas formadas por tecido linfóide e que realizam a filtragem da linfa. Eles se encontram no trajeto dos vasos linfáticos e espalhadas pelo corpo.

BAÇO

Ele filtra o sangue, expondo-o aos macrófagos e linfócitos que, através da fagocitose, destroem partículas estranhas, microorganismos invasores, hemácias e demais células sanguíneas mortas.

TONSILAS

Constituídas por tecido linfóide e, ricas em glóbulos brancos.

APÊNDICE

Pequeno órgão linfático, com grande concentração de glóbulos brancos.

PLACAS DE PEYER

Acúmulo de tecido linfoide que está associado ao intestino.

CLASSIFICAÇÃO DA IMUNIDADE

ATIVA

O corpo busca maneiras de combater o microorganismo após a exposição ao mesmo ou a toxina produzida por ele. A imunidade é adquirida pelo organismo pela doença ou pela vacinação, criando assim, uma “memória”;

PASSIVA

Esse tipo de imunização pode acontecer pela transferência de anticorpos da mãe para o feto ou pela administração de anticorpos, via soro, no doente. Ou seja, o indivíduo recebe anticorpos prontos para combater determinados antígenos.

TRANSFERÊNCIA ADOTIVA

Ocorre, por exemplo, via transfusão sanguínea, quando há a  transferência de células do sistema imune.

FATORES QUE ENFRAQUECEM O SISTEMA IMUNOLÓGICO

  • Deficiência de vitamina C e D,
  • Depressão,
  • Diabetes (Principalmente descompensada),
  • Doenças autoimunes (Ex.: Lúpus),
  • Estresse,
  • Exposição prolongada ao sol,
  • Falta de atividades físicas,
  • Má alimentação,
  • Noites mal dormidas (sono não reparador),
  • Obesidade,
  • Paciente pós transplantados,
  • Portadores de câncer (Principalmente em tratamento)
  • Portadores de AIDS,
  • Portadores de imunodeficiências primárias,
  • Uso contínuo de alguns remédios imunodepressores como corticóides.

COMO FORTALECER O SISTEMA IMUNOLÓGICO

  • Comer pouco carboidrato,
  • Dormir bem,
  • Fazer uso de probióticos,
  • Manter as doenças crônicas bem controladas,
  • Manter o peso adequado,
  • Realizar atividades físicas regularmente,
  • Suplementar vitamina D, B12 e acido fólico quando necessário,
  • Tomar bastante água,
  • Tratar adequadamente a ansiedade, depressão, estresse e todas as doenças neuro-psiquiátricas,
  • Vacinar-se.


Deixe uma resposta